Cineteatro São Luiz anuncia maratona de Matrix para agosto

matrix-divulgação

cineteatro-são-luiz-maratona-matrix-reporter-entre-linhasApós o sucesso da maratona Star Wars, com ingressos esgotados em menos de 24 horas, e as maratonas do mês de julho, com entradas esgotadas em apenas 28 min, o Cineteatro São Luiz prometeu novas maratonas para breve. Neste sábado, 9, o tradicional cinema fortalezense anunciou a exibição da trilogia Matrix para agosto.

O clássico cyberpunk das irmãs Wachowski narra a trajetória do jovem programador Thomas Anderson, interpretado por Keanu Reeves, que ao se ver atormentado por pesadelos de um sistema futurista passa a questionar o que é real. Lançado em 1999, o longa traz ainda nomes como Laurence Fishburne e Carrie Anne-Moss no elenco. O filme ganhou as sequências Matrix Reloaded e Matrix Revolutions, ambas lançadas em 2003, e se estendeu no anime e histórias em quadrinhos Animatrix e no jogo Enter the Matrix.

Maratonas

O Cineteatro São Luiz descobriu nas maratonas uma forma de reacender a nostalgia dos fãs de cultura pop de Fortaleza e fazer com que passem a ocupar o equipamento cultural. Para julho, foram anunciadas cinco maratonas. Os ingressos para a trilogia fantástica O Senhor dos Anéis esgotaram em apenas 28 min. Já as entradas para os filmes Toy Story foram as que mais demoraram a acabar e mesmo assim foi em tempo absurdamente rápido: apenas 1h15min. Veja aqui a programação completa deste mês.

Ainda não há detalhes sobre a maratona The Matrix. Acompanhe a página do São Luiz no Facebook ou fique de olho no blog para mais informações.

Veja o trailer do filme:

Vila das Artes terá mostra gratuita de curta-metragem nesta terça-feira

A Mostra Dialogando com o Cinema exibe três curtas-metragens, nesta terça-feira, 5, a partir das 18h30min, no auditório da Vila das Artes. Serão exibidos os filmes Janaína Overdrive (2016), de Mozart Freire, Santa porque avalanche (2016), de Paulo Victor Soares e  Ficar me trouxe até aqui (2016), de Renata Cavalcante. Na sequência, será apresentado o projeto Lobo Temporal e haverá roda de conversa com os realizadores e o cineasta e curador audiovisual Pablo Arellano.

Vila-das-Artes-mostra-gratuita-curta-metragem-reporter-entre-linhas.jpg
Imagem: Irene Bandeira

“Lobo Temporal” é uma exposição de sons que poderá ser visitada ainda neste mês, no Foyer do Theatro José de Alencar. Desenvolvido por Vivi Rocha, que trabalha com captação de som, edição e masterização, o projeto surgiu de um estudo sonoro. Assim somo os filmes, “Lobo” é resultado de dois anos de estudos da terceira turma de Realização Audiovisual, curso técnico da Vila das Artes.

Vivi já teve trabalhos exibidos na Mostra do Filme Livre e no Cine Ceará com A Rabeca, curta premiado pelo júri popular no Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro e considerado o melhor filme na Mostra Olhar do Ceará, em 2013.

Destaque do 26º Cine Ceará, o cineasta cearense Mozart Freire venceu o Festival com os dois filmes que concorreu. Cinemão (2015) foi eleito Melhor Curta pela Mostra Olhar do Ceará, composta por 39 produções locais, além de ter levado o Prêmio Mistika de masterização em DCP. O filme teve a participação de Renata Cavalcante como assistente de direção e Vivi Rocha na captação de som. Já o curta “Janaína Overdrive” venceu o prêmio especial Olhar Universitário de Melhor Curta.

Ainda no Festival, o cineasta Paulo Victor foi premiado pela Associação Cearense de Críticos de Cinema (Aceccine) com o documentário Antes da Encanteria (2015). O filme passou a ser exibido na TV Ceará e recebeu como complemento o Prêmio Unifor de Audiovisual no valor de R$ 5 mil. A direção do curta,aliás, foi uma parceria bem resolvida entre ele, Elena Meirelles, Gabriela Pessoa, Jorge Polo e Lívia de Paiva.

Já o curta O Sabor de Tutano (2014), de Renata Cavalcante, foi visto no Festival Curta Cabo Frio e na Mostra Livre de Cinema SP. Ela produziu ainda o videoarte “A Saída da Fábrica”, de Virgínia Pinho, premiado no 67º Salão de Abril.

Os filmes

Janaína Overdrive (2016)
(Classificação indicativa: 16 anos / Minutagem: 19 min)
Diretor: Mozart Freire
Sinopse: Janaína é uma trans com funções sexuais e está́ prestes a ser substituída pela nova tecnologia da corporação.

Santa porque avalanche (2016)
(Classificação indicativa: 16 anos / Minutagem: 17 min)
Diretor: Paulo Victor Soares
Sinopse: Quatro amigos inscrevem-se no concurso da garota molhada, fogem e apaixonam-se pela morte.

Ficar me trouxe até aqui (2016)
(Classificação indicativa: livre / Minutagem: 21 min)
Diretora: Renata Cavalcante
Sinopse: Três mulheres e um desejo em comum.

Serviço

Mostra Dialogando Com o Cinema
Local: Vila das Artes (auditório – 2º andar)
Endereço: Rua 24 de Maio, 1221 – Centro
Data: terça-feira, 5 de julho, a partir das 18h30
Gratuito

Confirme presença no evento.

Ingressos esgotam em apenas uma hora e Cine São Luiz promete novas maratonas

MadMax_07

As cinco maratonas que acontecerão no Cineteatro São Luiz, no mês de julho, tiveram seus ingressos esgotados em tempo recorde. Ao todo, as entradas acabaram em pouco mais de uma hora. A trilogia O Senhor dos Anéis, de Peter Jackson, foi a mais concorrida. O cadastramento acabou em apenas 28 min. Os filmes de Toy Story demoraram apenas 1h15min para esgotar, sendo a última bilheteria a findar as entradas.

Star Wars foi a segunda franquia a ter seus ingressos esgotados. Em apenas 34 min já não havia mais entradas para a série de George Lucas. Na sequência, acabaram os ingressos para De Volta Para o Futuro, em 47 min, e Mad Max, em 56 min.

StarWarsEpIV.jpg

A assessoria do Cineteatro informou ainda, por meio do Facebook, que em breve serão divulgadas datas para novas maratonas, em função da grande demanda do público. A princípio, deve haver repetição de alguns dos filmes que serão exibidos em julho, mas os títulos ainda não foram confirmados.

Programe-se

As maratonas começam já no próximo sábado, 2, e terminam no dia 31 de julho. Veja as datas:

2/7 – Maratona De Volta Para o Futuro (I, II e III)
9/7 – Toy Story (I, II e III)
16/7 – Senhor dos Anéis (A Sociedade do Anel, As Duas Torres e O Retorno do Rei)
23/7 – Star Wars (Episódios I, II, III, IV, V, VI e VII)
31/7 – Mad Max (I, II e IV)

Retirada dos ingressos

De Volta Para o Futuro: até o dia 01 de julho, mediante apresentação da documentação cadastrada no formulário e de acordo com os horários de funcionamento da bilheteria;

Toy Story: até o dia 08 de julho, mediante apresentação da documentação cadastrada no formulário e de acordo com os horários de funcionamento da bilheteria;

O Senhor dos Anéis: até o dia 15 de julho, mediante apresentação da documentação cadastrada no formulário e de acordo com os horários de funcionamento da bilheteria;

Star Wars: até o dia 22 de julho, mediante apresentação da documentação cadastrada no formulário e de acordo com os horários de funcionamento da bilheteria;

Mad Max: até o dia 28 de julho, mediante apresentação da documentação cadastrada no formulário e de acordo com os horários de funcionamento da bilheteria.

A bilheteria do Cineteatro São Luiz funciona de terça-feira à sábado, das 10 horas às 18h30min, e domingo, das 13 h às 17 horas. Ingressos que não forem trocados até as datas indicadas para cada maratona serão disponibilizados, por ordem de chegada, na bilheteria do cinema uma hora antes do início da primeira sessão de cada Maratona.

Cineteatro São Luiz terá maratonas de O Senhor dos Anéis e De Volta Para o Futuro em julho

O Senhor dos Anéis divulgação

Após o sucesso da Maratona Star Wars em Fortaleza, no último sábado, 25, o Cineteatro São Luiz anuncia as maratonas do mês de julho. Dessa vez, o tradicional cinema fortalezense vai exibir as trilogias De Volta Para o Futuro, Toy Story e a brilhante saga inspirada na obra de J. R. R. Tolkien, O Senhor dos Anéis. Os fãs do clássico Mad Max também poderão rever os dois primeiros filmes da saga e o último, lançado em 2015.

De volta para o futuro.jpg
Dirigido por Robert Zemeckis, com Michael J. Fox e Christopher Lloyd, filme oitentista virou ícone da cultura pop

Além disso, quem perdeu a maratona Star Wars (com ingressos esgotados em menos de 24 horas) de junho, vai ganhar uma nova chance. Agora, o cineteatro vai exibir TODOS os sete filmes da franquia. A programação é gratuita.

O cadastramento para quem quiser garantir os ingressos será liberado nesta terça-feira, 28, às 16 horas. Para se cadastrar, será preciso acessar a página do cinema no Facebook, onde será disponibilizado o link.

Conheça os vencedores do 26º Cine Ceará

Clever_foto2

Os atores Chico Diaz e Dira Paes foram os homenageados desta edição e receberam o Troféu Eusélio Oliveira. Realizado de 16 a 22 de junho, o 26° Cine Ceará exibiu mais de 100 filmes

O longa-metragem uruguaio Clever, dos diretores Federico Borgia e Guilhermo Madeiro, é o vencedor do 26° Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, encerrado nesta quarta-feira, 22, no Cineteatro São Luiz. Ele foi eleito o Melhor Filme da Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem, além de vencer na categoria Melhor Trilha Sonora. O longa ainda leva para casa prêmio em dinheiro no valor de 10 mil dólares.

Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois_foto1.jpg
Divulgação

Maresia, que estreia nos cinemas em setembro, levou o Troféu Mucuripe de Melhor Direção para o realizador Marcos Guttmann e Melhor Ator para Júlio Andrade. Sabrina Greve, do longa cearense Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois, de Petrus Cariry, venceu o Troféu Mucuripe de Melhor Atriz. Na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem, o filme O teto sobre nós, de Bruno Carboni, foi eleito Melhor Curta-Metragem. A Melhor Produção Cearense foi para A festa dos cães, de Leonardo Moramateus.

O cineasta cearense Mozart Freire venceu com os dois filmes que concorreu. Cinemão foi eleito Melhor Curta pela Mostra Olhar do Ceará, composta por 39 produções locais. Já o curta Janaina Overdrive venceu o prêmio especial Olhar Universitário de Melhor Curta.

Veja a lista completa dos premiados com o Troféu Mucuripe

Mostra Competitiva Ibero-Americana de Longa-Metragem

Melhor Longa-Metragem – “Clever”
Melhor Direção – “Maresia”
Melhor Fotografia – “Avó”
Melhor Montagem – “Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil”
Melhor Roteiro – “Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil”
Melhor Som – “Epitáfio”
Melhor Trilha Sonora – “Clever”
Melhor Direção de Arte – “Avó”
Melhor Ator – Júlio Andrade – “Maresia”
Melhor Atriz – Sabrina Greve –“Clarisse, ou alguma coisa sobre nós dois”
Prêmio da Crítica (Abraccine) – “Avó”

CINEMA foto3_web
Divulgação

Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem

Melhor Curta-Metragem – “O teto sobre nós”
Melhor Direção – “Índios no Poder”
Melhor Roteiro – “Fotograma”
Melhor Produção Cearense –“A festa dos cães”
Prêmio da crítica (Abraccine) – “Fotograma”

Mostra Olhar do Ceará

Melhor Curta-metragem – “Cinemão”

Prêmios especias

Prêmio Aquisição Canal Brasil – Melhor filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem (R$ 15.000,00)

“USP 7%”

Prêmio Olhar Universitário – Troféu Mucuripe

Melhor Curta – “Janaína Overdrive”
Melhor Longa – “Casa Blanca”

Troféu Oscarito – “Fotograma”

Prêmio Mistika (Masterização em DCP)

Melhor Filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curtas-metragens – “O teto sobre nós”
Melhor Curta-Metragem da Mostra Olhar do Ceará – “Cinemão”

Gero Camilo discute machismo, sexualidade e a sobrevivência da arte em espetáculos

O ator cearense vai apresentar “Aldeotas”, nos próximos dias 24 e 25, e “Caminham nus empoeirados”, no dia 26. Ambos na Caixa Cultural

image002
Imagem: Karina Ades

Quando dois amigos de infância se reencontram, fragmentos de memórias e experiências adormecidas são relembradas. É dessa proposta que parte “Aldeotas“, com texto do ator, poeta, dramaturgo, cantor e compositor cearense Gero Camilo e direção de Cristiane Paoli Quito.

O espetáculo fará parte do projeto Em Cartaz: Gero Camilo, que começa no próximo dia 24, na Caixa Cultural Fortaleza. A curta temporada de três dias traz ainda a peça inédita “Caminham nus empoeirados“, escrita por Camilo, que divide a direção com a portuguesa Luisa Pinto. O texto é inspirado no livro “A Macaúba da Terra”, também de autoria do cearense.

A narrativa da plural “Aldeotas”, que se passa na pequena cidade fictícia Coti das Fuças, foge do senso comum que o nome pode sugerir. “É uma peça muito universal. (Coti das Fuças) pode ser no Ceará, mas pode ser também em qualquer lugar”, explica. “Porque fala de memórias, de experiências e variações culturais. Tem muito sentimento de amor, descoberta, liberdade”, antecipa o ator.

Gero diz que o texto traz muito da sua própria memória afetiva, mas que trata de temas universais. “São experiências que o ser humano passa em qualquer lugar. É um pouco da minha biografia, da sua e de qualquer pessoa”, aponta. “Tem muito dessa experiência de Interior, onde a violência não é muito presente e as pessoas conseguem viver as ruas”.

“A peça trata das descobertas, do machismo, da homossexualidade. O público se identifica porque esses sentimentos ainda estão muito impregnados no Interior”, continua. Em “Aldeotas”, o artista debate temas muito presentes no ambiente familiar, como a autoridade dos pais em contraponto ao desejo de liberdade dos filhos e a relação da religião no contexto moral da sociedade. “Nada mais atual do que discutir essas questões. A arte expõe e, a partir daí, o público digere de acordo com a experiência de cada um”.

Conexão Brasil-Portugal

Com tons de comédia e crítica social, a montagem “Caminham nus empoeirados” narra a história de dois atores que abandonam a companhia de teatro para seguir estrada juntos. O espetáculo nasceu do convite da diretora Luisa Pinto para montar um texto em Portugal. Entre agosto e outubro do ano passado, eles viajaram por Atenas, Bruxelas, Paris e Praga para pesquisar artistas populares, montaram e apresentaram curta temporada em Portugal.

Assim como em “Aldeotas”, Gero contracena com Victor Mendes. O ator, que trabalha na série “Psi”, da HBO, escrita por Contardo Calligaris, assumiu o papel após a saída do ator português João Costa.

Até agosto, Camilo e Mendes devem estrear espetáculo inédito sobre os 100 anos do samba. E Gero Camilo adianta: a história se passa no dia do golpe de 1964, que instaurou uma ditadura militar no Brasil.

Programação

Em cartaz: Gero Camilo

Os ingressos poderão ser adquiridos a partir do próximo dia 23, às 10 horas. Cada pessoa poderá comprar um par de ingressos dos dois espetáculos. Após a apresentação no segundo dia de espetáculo, os atores participarão de roda de conversa com o público.

Aldeotas
Data: 24 e 25 de junho de 2016
Horário: 20h
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 105 minutos
Ingressos: R$ 10 (inteira)

Caminham nus empoeirados
Data: 26 de junho de 2016
Horário: 17h e 19h
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 75 minutos
Ingressos: R$ 10 (inteira)

Local: Caixa Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza: (85) 3453-2770

Janaina Overdrive, de Mozart Freire (2016)

JANAINA-OVERDRIVE-foto2-800x600

JANAINA-OVERDRIVE-CARTAZ-717x1024A subcultura cyberpunk está representada no novo cinema cearense. Exibido no 26º Festival Ibero-Americano de Cinema – Cine Ceará, o curta-metragem Janaina Overdrive (2016), de Mozart Freire, se apropria do universo fundamentado nos anos 1980 por autores como Bruce Sterling e William Gibson para mostrar que há espaço na ficção-científica para a necessária e atual discussão de gênero.

Trabalho de conclusão de curso de Realização Audiovisual da Vila das Artes, o filme foi selecionado para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem. Já a estreia do diretor, Cinemão (2015), entrou no Festival pela Mostra Olhar do Ceará.

Quando a ciborgue transexual vivida por Layla Kayã Sah descobre que o progresso tecnológico ameaça sua existência, ela parte em busca de informações que possam ajudá-la a transcender o plano físico. De cara, a heróina de Mozart estabelece os lados. Sociedade e Governo, aqui representado pela Corporação e sua tentativa de controle biotecnopolítico.

Com as acertadas direção de arte, que Freire assina com Jônia Tercia, e fotografia, de Daniel Pustowka, o cineasta escancara o niilismo de uma Fortaleza hi-tech marginalizada. Há ainda a trilha sonora do duo eletrônico Intuición, que ajuda a construir a cybercultura em torno da narrativa, bem como a inventiva presença de Graco Alves e a imagem noir de Euzebio Zloccowick (1980-2016).

Outro ponto alto é a irreverência da produção ao dialogar com a realidade local. Uma das primeiras cenas do filme, com a banda tocando ao fundo, lembra a tradicional festa fortalezense Dança das Sombras, com indivíduos que transitam entre a chamada normalidade e a necessidade de se expressar diferentemente  do que está imposto pela sociedade. Em outro momento, ciborgues aparecem deitados em redes. Coisa de cearense.

A transciborgue é, essencialmente, um grito de rebeldia e resistência. A modelo ultrapassada entende que é preciso bradar emponderamento para superar as dificuldades sociais, mesmo quando não há muita esperança. Mas para Janaina, as possibilidades existem. E precisam ser exploradas.